Sobre comer barriga...

12 de out de 2010 - não enviada por Camila Rufine
A única diferença entre um nada e um quase é a expectativa.

Uma pedra a menos não dá o direito de gritar "bingo!". A proximidade entre a trave e a rede não garante o gol. O sorriso da Miss Simpatia não bate a cintura fina da primeira vencedora do concurso. A intenção da piada não garante os risos. Quem quase compra, não leva para casa. Quem quase ama não vê o charme de voltar a ser ridículo. Quem quase vai chega tão longe quanto quem nunca desejou sair do lugar.

O quase é o consolo de quem arrisca, mas tem o mesmo gosto da derrota.

Medalha de prata para o primeiro perdedor.

3 Response to "Sobre comer barriga..."

  1. A. Cordeiro Says:

    Como se faz para deixar de ser um perpétuo quase?

  2. Paula de Assis Fernandes Says:

    Prata, realmente!

  3. Michele Matos Says:

    Eita! Fiquei confusa com minha vida. Quase ganhei essa medalha!
    =D