Bolo e guaraná

28 de abr de 2009 - não enviada por Graci 4 comentários
De hoje para meu aniversário, um mês.

Um mês para concretizar a crise interna que já dura algumas semanas e confirmar, mais uma vez, que o tempo passa rápido e que os arrependimentos podem ser infinitos (principalmente quando falta alegria, chocolate ou vodka para dar aquela animada).

E eu faço contas, procuro fatos marcantes para meus 22 anos. E decidi que vou ter de colocar um piercing ou fazer uma tatuagem, porque não encontrei muita coisa significativa. E procurei, hein?

Aos 17 eu entrei na universidade e fui morar sozinha. Aos 18 perdi minha virgindade e descobri beleza na melancolia. Aos 19 eu tomei meu primeiro porre, descobri Pearl Jam e uma amizade que vai durar mais que uma vida. Aos 20 eu virei mãe, larguei a bebida e a medicação controlada. Aos 21 recebi um diploma e consegui um emprego.

Aos 22... (olhos se retraem tentando forçar alguma marca positiva). Bom, eu recebi meu primeiro salário, me especializei em reagir à cantadas de tios, enterrei o que julgava ser o amor da minha vida, me senti infeliz, adoeci de tanto stress e tristeza, tive a solidão como companheira...

Uma borboleta ou um dragão nas costas?

(Ainda tenho um mês para desistir disso. Ufa!)

.

Passou!

27 de abr de 2009 - não enviada por Graci 3 comentários
Olhei no relógio mas nâo vi a hora, somente percebi que o 25 de abril havia acabado de começar. E lembrei que esqueci a data do nosso primeiro beijo, que nem mais lembro, muito menos sinto saudade.

Adeus, baby.

.

Uma semana com Iranei

26 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 6 comentários
Segunda-Feira:
[Estudando para o exame de legislação da CNH]

- Pai, ajuda aqui. “Os componentes do sistema de alimentação, são...”?
- Colher, garfo, faca...


Terça-Feira:
[Jogando Uno]

- Nossa! Eu jogo bem demais... sete e meia chega um ônibus ali na rodoviária, viu?
- Hãn???
- É, ué... pra você ir lá buscar alguém que tente ganhar de mim.


Quarta-Feira:
[Jogando Uno, de novo...]

- Que vença o melhor, pai.
- Se fosse assim mesmo, eu nunca perderia.


Quinta-Feira:

[Revisando as perguntas para a prova de legislação]

- Pai, olha só até que tipo de pergunta cai: “O que é necessário para uma convivência harmônica entre os indivíduos?”
- Essa é fácil. Ter uma faca maior que a dos outros.


Sexta-Feira:
[Em frente a uma vitrine, após sair da agência de viagens]

Mãe: Bem, o que você acha de comprar aquela lingerie pra quando a gente for fazer o cruzeiro?
Pai: (Olhar de espanto) Ah, muié. Se for pra eu usar, não quero não.


Sábado:
[Depois da reforma que retirou a maioria dos degraus de casa, para evitar mais tombos da mãe]

- Bem, acredita que eu ainda tropeço nesse degrauzinho aqui (de mais ou menos 3cm)?
- Ah, muié. Melhor do que ficou aqui, só se a gente for morar na lua.


Domingo:
[Farolete aceso na mão, mirando na minha cara]

-Sabe por que eu comprei esse farolete aqui?
-Porquê, pai?
- Pra caçar capivara.

.

Ó, garotinha do uniforme...

22 de abr de 2009 - não enviada por Graci 4 comentários
Ameaça de chuva lá fora, raios e trovões concretizam uma tempestade aqui dentro.
Chegou sem evidências que a antecipariam, sem nem ao menos um vendaval refrescante para poder suportar a carga de água e lama que ficará, tenho certeza.

Eu, que não gosto de nublados e cinzas, me misturo ao frio e à ausência de cor deste dia estranho, me procuro, não me acho. Simulo avidez, finjo interesse e afirmo coragem, que não dura o tempo suficiente para eu abaixar minha pálpebra rumo ao cadarço do tênis. Estou parecida demais contigo e não sei o quanto isso pode ser bom. Na verdade, acredito que não haja ponto positivo.

Sorvo o chá, engulo o chocolate e celebro meu almoço insólito, sozinha, jogando paciência enquanto a ação real, não o jogo, ainda não é assimilada por mim. Olho os livros que tenho para ler, ouço as gravações e confiro as anotações, mas não consigo fugir do óbvio do título e da gravata. Será isso realmente importante? Para quem? Para mim? Não, não sei, não me peça respostas, não me cobre o que não é capaz de definir em si, não seja cruel e falsa. E cínica, você sabe como ser cínica.

Sabe o eu sei hoje? Que muito pouco do mundo tem explicação e que não vou perder meu tempo com isso. A comida continua sendo ruim, mas poderia vir em doses maiores, isso sim. Vou curtir minha melancolia sozinha até o fim, torcendo para que ela acabe amanhã.

Para você, envio um pouquinho do meu fel e o profundo desprezo por suas inspirações insanamente recalcadas. Tome coragem e levante esta cabeça de verdade, ao invés de distribuir sorrisos para meio mundo. Ou para mundos inteiros.

.

Inveja

19 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 2 comentários
Às vezes, quase toda hora, eu sinto.
Ora do tipo inspiradora, ora corrosiva.
Porque o Nescau na casa dos outros é sempre mais gostoso, a grama mais verde e as dores menos doloridas.

Ps: aqui está mais um tijolinho pra construir a sua fama.

.

Enquanto isso, no Jardim II...

15 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 9 comentários
- Tia Camila, sabia que eu tenho um namorado?
- Ah, é? Qual o nome dele?
- André. Ele estuda em outra escola.
- E ele sabe que é seu namorado?
- Sim... Ele até sabe o meu nome!
.

CAMISa de força

11 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 5 comentários




Sua mentira não é páreo para meu problema mental, beibe.

.

Estados Unidos de Camila

8 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 4 comentários
.
Querida Camila;

Sei que você não suporta mais a minha briga com aquela lá, mas já desisti de tentar negociar com ela. Então, por favor, me ouça. Falo-lhe como sua melhor amiga. Se você permitir que ela continue tomando as decisões por aqui, não terei outra escolha. Serei obrigada a redobrar a dose de remorso, carência afetiva e melancolia. Lembro também que se as coisas permanecerem como estão você será a mais prejudicada, pois se tornará a pessoa mais solitária do mundo.

Com carinho;

Camila-boazinha.


__________________________________________________________________


Oi, Camila-malvada;


Odeio ser uma leva-e-traz, mas tenho um recado. A Camila-boazinha está ameaçando me deixar ainda mais triste, carente e com a consciência pesada se você não maneirar sua personalidade excêntrica. Ela também mencionou o fato de eu acabar sozinha no futuro e sei lá se quero isso pra mim. Obrigada por não fazer disso um escândalo.

Espero resposta.

Camila Rufine

______________________________________________________________________


Fala, Camila!


Desculpe-me pela demora, mas só agora consegui parar de rir. Quer dizer que você considera mesmo a hipótese de ouvir o que aquela Sandy em forma de personalidade diz? Pois bem. Escolha. Ou ela manda, ou eu. Esse negócio de meio-termo só funciona em matemática. Alerto que se você a escolher, depois não adianta reclamar que não aguenta mais ouvir música ruim, estar rodeada de gente medíocre ou se sentindo burra. Me avise, quando decidir. E manda um beijo praquela sem-sal.


Camila-malvada, beibé.


.

À quem possa interessar

6 de abr de 2009 - não enviada por CamilaRufine 6 comentários
Desculpa...

... por não conversar olhando nos olhos. Pela bronca estúpida. Por eu não ter falado coisas bonitas enquanto as sentia. Por não conseguir sentir. Ou por ter sentido e esperado demais. Sinto muito por eu não ter sido madura o suficiente pra respeitar suas peculiaridades. Pela falta de atenção. Por esquecer seu aniversário. Por eu não ter ido te visitar. Desculpe-me por ter terminado por telefone. Por eu não ter ido aos dois aniversários do seu filho. Por te dar esperança e arrancá-la em seguida. Peço desculpa pelas coisas que disse ou escrevi de cabeça quente. Pelas verdades que não precisavam ser ditas. Por quando te deixei triste com minha melancolia barata. Sinto muito pelas inverdades que disse só pra te agradar. Por não ter atendido a campainha. Por ter tirado sarro de você. Pelas vezes que menti. Que omiti. Que sumi. Que desconversei. Que não apareci. Que lesei. Que não perdoei. Que não soube como agir. Perdão por eu ter cruzado o seu caminho, tentado com tanta força ser uma pessoa legal, pra depois deixá-lo(a) tão desapontado(a). Foi mal por não ser forte o suficiente para falar isso diretamente a você. Desculpe-me por eu ser assim, tão Camila Rufine. Tão errante.

.

Vai uma smirnoff ice aí?

1 de abr de 2009 - não enviada por Graci 4 comentários
22:59 é a hora.
159 é o número de vezes que entrei no orkut hoje.
260 ml com 5,5% de graduação alcoolica é o que mantém em pé.
Saco!