Noel, Noel...

21 de dez de 2009 - não enviada por Graci
Ah, meu bom velhinho. Nós nunca fomos muito íntimos, não é mesmo? Mas eu juro, te juro, que já esperei bem mais de ti e fui bem menos compreensiva, portanto, as chances de nossa relação deslanchar de agora em diante são múltiplas.

Primeiro, porque com uns cinco dias de adiantamento o senhor deu um jeitinho de fazer chegar às minhas mãos aquele abençoado litro de Amarula. Admito, foi lindo, velho Noel. Emocionante, eu diria.

Segundo, porque eu tenho falado muito bem do senhor pro meu polaco, o Totonho. Elogio o senhor sempre, conto que é um cara muito gente boa que antes do Natal distribui um monte de balas e pirulitos e que, quando chega o dia 24, dá um presente bem lindo pra gente brincar no dia 25 inteiro e não enjoar nas semanas seguintes. Estou sendo bem bacana, admita.

E terceiro, mas não menos importante, porque eu resolvi te dar um pouquinho de sossego. É, é isso mesmo que o senhor está lendo. Não quero a minha casa da árvore, o kit de ferramentas culinárias ou aquela caixa de sei lá quantos lápis de cor que pedi por uma década sem ser atendida (presentes que o senhor muito sensatamente, diga-se de passagem, resolveu ignorar). Pensando bem, eu até queria um notebook, alguns livros e uns dois ou três vestidos ou sapatos - não custa nada lembrar que agora eu calço 39 e o manequim parou no 38 - mas não espero mais ansiosamente por nada que o senhor possa trazer.

Então, como essa é a primeira vez que dezembro chega ao final sem eu pensar nos presentes, acredito que mereço alguma recompensa (ta, tá, não vou exagerar). Faça, bom velhinho, apenas com que tenha tempo para brincar com os presentes que o senhor vai dar para o Totonho. É claro que estou ciente que eles são bem interativos e vão pedir a presença de alguém para se tornarem mais interessantes. Só quero isso.

Fácil, não?

Selada a paz, manda um abraço para aquela sua filha, a Tati. Ela é muito bacana, sabia? Bobagem, claro que o senhor sabe disso bem mais que eu.

Por este ano, é só. Saiba apenas que um pratinho de biscoitos vai esperar pelo senhor lá em casa, na noite do dia 24.
Desta vez colocado por outras mãos, umas mãozinhas polacas.

4 Response to "Noel, Noel..."

  1. Camila Rufine Says:

    Ai Graci...

    Que lindo texto. Se até eu me arrepiei, duvido que aquele velhote bonachão não se derreta.

    =* e feliz natal, minha amilga.

  2. Paulinha Fernandes Says:

    Concordo com a Camis!
    E ai desse Papai Noel se não te atender! Aliás, ao nosso polaco!
    rsrs!
    Amooo!

  3. Tatiana Lazzarotto Says:

    O velho é bonachão sim!
    E vai atender essa coisa linda e branquela, certeza.
    Mas oq eu queria dizer mesmo é:
    Adorei a referência a mim!!!
    Hehehe

  4. Michele Matos Says:

    Tomara que ele tenha atendido, mesmo que vc nao tenha mandado essa carta... Ele é legal. Um dia a Tati vai me apresentar a ele.
    bju graciii, pra vc e pro polaquitooo!