Deselegante

10 de jun de 2010 - não enviada por Camila Rufine
Assim que bisbilhotei e tive a confirmação da minha suspeita sobre este infeliz acontecimento na sua vida, corri compartilhar a novidade com minha mãe.

Antes de você me chamar de fofoqueira, saiba que assim que ela soube que iria ficar um ano sem me ver, fez-me prometer, olhando nos olhos dela, que eu iria informá-la sobre qualquer romance que viesse a acontecer aqui. Qualquer um mesmo.

Achei justo, já que, calculando rapidamente as probabilidades e analisando grosseiramente a situação, admiti que eu já tinha escondido muita coisa dela e que as chances de eu ter um affair por essas bandas seria quase nulo.

Eu me enganei e ela ficou sabendo, pois cumpro minhas promessas. E ao saber da versão resumida e nada imparcial da meteórica história, é evidente que ela tomou o meu partido.

Isso não significa que minha mãe seja leviana. Não, não. Ela não exita em chamar a minha atenção. Ela sempre me aconselha a fazer a coisa certa. E é por isso que ela quase nunca sabe nada da minha vida. Mas hoje eu acordei no espirito de querer fazer a coisa certa. E como isso é raro, recorri à especialista.

E ela disse para eu deixar para lá. Que você não foi lá, assim, tão legal comigo e que a gente nem vai se ver novamente mesmo. Então é isso. Acho que se eu disser que segui o conselho da minha mãe, fica menos feio do que admitir que não senti vontade de puxar assunto, nem ao menos para parecer educada.



3 Response to "Deselegante"

  1. Paula de Assis Fernandes Says:

    Camis, toda mãe é sábia! E seguir os seus conselhos é sempre uma boa alternativa! =)

  2. Michele Matos Says:

    Conselhos são bons sim, mas tomar decisões é melhor, mesmo que quebremos a cara depois. =)

  3. Michele Mitsue Says:

    Cocordo com a Paulinha e a Michele. Ouça sua mae, elas sempre sabem mais, pode crer. E tome o que ela disser, como parâmetro para tomar as suas decisoes. O resultado, você conta pra gente depois...rsrs