Olá, estranho barbudo

3 de set de 2008 - não enviada por CamilaRufine
Boomp3.com

Acho você interessante. Sempre tive uma queda pelo low profile, o jeito desleixado, o soslaio de quem pouco se importa com o mundo e o ar de quem sabe muito mais do que desejaria saber. Chamou-me a atenção, mesmo que você seja, é... hã... baixinho.

E você? O que será que pensa sobre mim? Será que se lembra apenas quando me vê? Ou nem isso? Acho meio difícil tantos encontrões passarem despercebidos. Será que você também já traçou o meu perfil? Sou do tipo que você se interessaria ou odiaria? Será que me acha uma fútil ou percebe minha tentativa em ser muito mais do que um rosto bem maquiado?

Às vezes penso que sei tudo sobre você e então me dou conta de que nem sei qual o seu nome. Não te acho bonito, mas alguma coisa me diz que eu devia te conhecer. E isso me incomoda, pois ultimamente tenho andado um tanto quanto supersticiosa.

Talvez essa seja a maneira que eu encontrei de agregar valor às coisas inúteis, tão freqüentes. Uma esquizofrenia leve e inofensiva, que me faz acreditar que eu tenho poder sobre o mundo. Uma seqüela que me protege, logo após à minha última super-crise existencial. Pode ser qualquer outra coisa, só que eu decidi que pra mim, esse tipo de coincidência não podia ser só acaso [mesmo que a afirmação seja paradoxa].

Mas, droga! Perde toda a graça se isso tudo nunca tenha passado na sua cabeça. Seria uma decepção conversar com você e descobrir que você acha que consegue viver fora do mundo capitalista só porque não consegue comprar um carro. Mataria-me saber que você adora se entupir de drogas só para afirmar que faz isso para chocar a sociedade. Seria o fim eu entender que você é apenas mais um que não consegue dizer 'não' aos amigos, que compra personalidade nas lojinhas punks e que ainda teima que consegue ser diferente do resto do mundo.

Então, estou te escrevendo pra pedir que você se mantenha aí, sempre longe. Continue na sua, que eu permanecerei na minha. Me dê o benefício da dúvida. Melhor perder a chance de conhecer alguém muito bacana do que saber que só meu tamanho te chamou a atenção ou que, na verdade, você esteja só afim de uma amiga minha, assim como todos os outros caras pelos quais nutri sentimentos platônicos parecidos.

Tchau. Até o próximo encontro mudo, na universidade...


.

2 Response to "Olá, estranho barbudo"

  1. gledison Says:

    Simplesmente a sua cara, Camis!
    =)

  2. Paula Says:

    era a Paula, não o Gledison!